Fantástica Tailândia!

 

Se o seu sonho é fazer uma viagem inesquecível para um destino exótico, interagir com uma cultura vibrante, ser recebido calorosamente por pessoas maravilhosas e de quebra visitar paisagens incríveis, vem com a gente conhecer um pouco mais sobre este fascinante país asiático: a Tailândia.

21422474681_243a4656ea_o
Garoto tailandês sendo ordenado monge noviço no templo Wat Pa Pao, durante o Festival Poi Sang Long. (Chiang Mai, Tailândia)

Um pouco de história

A Tailândia é o país campeão do turismo no Sudeste Asiático e o único que não foi colonizado por potências europeias, o que é motivo de grande orgulho para seus habitantes. Inicialmente o local era chamado de Sião, mas em 1939 passou a ser denominado Tailândia, que significa “terra de homens livres”.

Política

O sistema de governo tailandês é a monarquia constitucional. O monarca Bhumibol Adulyadej, que ocupou o trono do país por 70 anos, era muito admirado e adorado pelos tailandeses, por ter alcançado diversas conquistas sociais, mas ele faleceu em outubro de 2016 e hoje país é governado pelo príncipe herdeiro, seu filho, Maha Vajiralongkorn.

Turismo

Boa parte de suas belezas naturais que envolvem terras e águas estão sob a proteção do Departamento de Parques Nacionais (http://www.dnp.go.th/index_eng.asp). As praias em sua maioria possuem areias brancas, vegetação exuberante e águas turquesa, que formam um paraíso. Para os mergulhadores, esses mares estão entre os melhores do planeta, com uma preciosa vida marinha e visibilidade que chegam a 30 metros de profundidade.

Mas infelizmente, o turismo acaba causando alguns danos irreparáveis e Koh Tachai, uma das ilhas turísticas mais bonitas da Tailândia, foi fechada pelo Departamento de Parques Nacionais e Conservação de Animais e Plantas Selvagens para turistas indefinidamente, em uma tentativa de protegê-la e resolver o impacto sobre o ambiente e os recursos naturais causado pelo turismo.

DSC_0740

A Tailândia oferece um mix perfeito entre cultura, hedonismo e exotismo. Conhecer esse lugar é como abrir uma janela para um mundo incrível e ao mesmo tempo desconhecido para as culturas ocidentais.

O país possui milhares de templos espalhados por todo o território, que encantam os olhos dos apaixonados por história e cultura. Ainda há tribos do norte que preservam costumes de seus antepassados em meio à modernidade que vivemos hoje e cidades antigas como, Sukhotai e Ayutthaya que foram reconhecidas como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

14013532308_a9474583a4_o
Mulher Girafa (Chiang Mai, Tailândia)

Chegar ao país com a mente aberta e receptiva vai te proporcionar sentidos afinados para absorver cores, sabores, cheiros, cultura e gestos em uma intensidade maior do que são esperados pelos parâmetros ocidentais.

A culinária é exótica, ampla e saborosa e atinge todos os gostos, desde o vegetariano até os carnívoros. As massagens tailandesas são amplamente oferecidas em todo canto do país e as pessoas em sua maioria são alegres, simpáticas e hospitaleiras.

Entre os destinos que vamos apresentar para vocês estão: A cosmopolita e atual capital Bangkok, a histórica e antiga capital Ayutthaya, Chiang Mai, Chiang Rai e Golden Triangle e Koh Phi Phi.

COMO CHEGAR:  

A principal porta de entrada no país é o Aeroporto Internacional de Bangkok-Suvavnabhumi, que fica a cerca de 30 Km do centro, mas há também serviços internacionais com escala para Chiang Mai, no norte, e Phuket, no sul.

Não há voos diretos do Brasil para a Tailândia e todos possuem conexões em outros países. Do Rio de Janeiro partem voos com destino a Bangkok através de companhias aéreas como, Emirates, Air France, KLM, Lufthansa e British Airways. Já de São Paulo, existem partidas para Bangkok pelas mesmas companhias do Rio e ainda, Swiss, Turkish Airlines, Ethihad e Qatar Airways. As conexões podem acontecer nos Emirados Árabes, Alemanha, Londres ou Amsterdã.

No nosso caso, conseguimos uma tarifa promocional absurda pela Delta Airlines, mas em compensação fizemos duas conexões, uma nos Estados Unidos e outra no Japão. Apesar do preço excelente, a viagem foi SUPER cansativa. Por isso, viajar com uma boa companhia aérea faz bastante diferença no conforto da sua viagem. A Delta Airlines nos proporcionou uma ótima experiência e ainda pudemos fazer a opção de refeições vegetariana previamente. Nossa dica é ficar de olho nas ofertas de passagens acompanhando sites como Skyscanner, Passagens Promo, Google Voos e Melhores Destinos.

Como não há voos diretos, as conexões podem ocorrer em um país onde o visto é exigido. No nosso caso, fizemos uma parada nos Estados Unidos (já tínhamos o visto de turista) e no Japão (onde fizemos o visto de trânsito). Em um próximo post, vamos detalhar o passo a passo para a solicitação do visto de entrada nestes países.

 VISTO DE ENTRADA:

O Brasil e mais 41 países estão isentos de visto para a entrada de turismo na Tailândia por até 90 dias. A burocracia neste caso é bem simples, basta apresentar passaporte válido por no mínimo 6 meses e Certificado Internacional de Vacinação (CIV) contra febre amarela

Ao chegar no Aeroporto Internacional de Bangkok, o passageiro brasileiro deverá, antes de passar pelo controle de passaportes, dirigir-se ao balcão de controle sanitário (Health Control), onde deverá apresentar o referido Certificado Internacional de Vacinação, bem como preencher formulário que lhe é entregue pelo funcionário.

QUANDO IR:

Pesquisamos bastante sobre a melhor época para visitar a Tailândia e acabamos optando por viajar na estação seca, entre março e abril, evitando as monções (chuvas intensas/alagamentos).

Se você procura pelo período mais tranquilo para visitar a Tailândia, certamente não será entre dezembro e fevereiro, estes são os meses de alta temporada, mas se desejar viajar durante este período, esteja certo de que vai pagar um pouco mais pois esta é a época mais concorrida do ano. As reservas de hotéis com antecedência são recomendadas principalmente durante o período de festas entre Natal e Ano Novo.

Os meses de novembro e março, durante o inverno, são boas opções para quem quer economizar e aproveitar da mesma forma. Não se assuste, porque o inverno tailandês tem temperaturas que atingem os 30º C e apesar de quente, são os meses de menor incidência de chuvas.

Outra época barata é entre abril a junho, são os meses mais quentes do ano e bastante úmidos. Durante esse período você vai passar muito calor. É importante evitar os meses de julho a outubro, especialmente se você planeja ir às praias, as monções causam temporais mais severos que as chuvas de verão no Brasil, causando grandes alagamentos.

COMO SE LOCOMOVER:

Entre cidades mais próximas o deslocamento pode ser feito de ônibus, trem, táxi, ou tuk-tuks.

Os táxis costumam sair mais barato que os famosos tuk-tuks, se for subir em um combine o preço e evite aqueles passeios que incluem paradas pelo caminho. Lembre-se de tomar o cuidado de pedir que o taxímetro seja ligado, pois alguns motoristas preferem negociar o preço da corrida. Sempre tenha em mãos o nome e endereço do destino e da volta escritos no alfabeto tailandês para facilitar sua chegada.

E mesmo combinando o valor, talvez você passe por alguns perrengues. Quando estávamos em Bangkok, pegamos um tuk-tuk em que o valor cobrado inicialmente era de 100 bahts, mas no meio da viagem o motorista nos disse que era 1000. Como dissemos que não tínhamos aquele valor e já sabíamos que se tratava de um golpe, ele nos deixou no meio do caminho e tivemos que nos virar.

Fora de Bangkok o transporte público não é dos melhores. Ônibus que levam tanto às montanhas do norte, quando às praias do sul trafegam em estradas precárias, na maioria das vezes. Nestes casos, o trem pode ser uma boa opção para economizar nas tarifas aéreas e de quebra fazer um passeio diferente, aproveitando as paisagens da região.

Quando as distâncias forem maiores, se for possível vá de avião. Os preços de viagens internas são bons e há diversas companhias para escolher como, Thai Airways, Bangkok Airways, Air Asia e Nok Air.

É isso ai pessoal, nos próximos posts conteremos mais sobre este destino incrível. Até lá!

Conheça a fascinante BANGKOK

Um dos destinos mais visitados no país, Bangkok é a capital da Tailândia e também a cidade mais populosa do país, com mais de 8 milhões de habitantes, ou mais de 14 milhões considerando sua região metropolitana.

Bangkok possui um aeroporto internacional com voos que partem para diversos lugares do mundo. A cidade é cosmopolita e repleta de prédios, shopping centers, restaurantes, bares, contando com um sistema de transporte público eficiente (com muitos tuk-tuks!) e uma infraestrutura hoteleira que vai desde opções mais baratas até luxuosos hotéis. Ao mesmo tempo, traz o contraste com vendedores de rua comercializando roupas, tecidos, artesanatos, joias e variados tipos de comida. A capital da Tailândia hospeda mais de 300 templos budistas e é comum ver monges andando pelas ruas.

O transporte público na cidade é ótimo. Há opções de metrô, trem, BTS (Conhecido como Sky Train, porque passa por cima dos viadutos da cidade), ônibus, barcos, além dos táxis e tuk-tuks. O rio Chao Phraya, coração da cidade, serve de estrada para os variados tipos de embarcação que navegam levando turistas e moradores. Por isso, Bangkok é chamada por muitos de “a Veneza do Oriente”.

Quando se faz turismo em Bangkok, uma das principais atrações para conhecer na cidade são seus lindos templos e nós listamos alguns dos templos que você não pode deixar de conhecer quando passar por lá.

Templos belíssimos:

  • Grande Palácio:Era a residência Oficial do Rei da Tailândia. Aberto diariamente das 08:30 às 17:30.
  • Wat Phrae Keou: Templo do Buda de Esmeralda. Fica dentro do complexo Grand Palace e abre diariamente das 08:30 às 15:30.
  • Wat Pho: Templo do Buda reclinado ou deitado. A imagem do Buda é maior que o Cristo Redentor e o templo fica aberto das 08:30 às 18:30.
  • Wat Arun:Templo do Amanhecer. Aberto diariamente das 08:30 às 17:30.

Onde comer:

Uma das grandes diversões na Tailândia é explorar sua gastronomia que é famosa por sua mistura de sabores: doce, salgado e picante, tudo isso ao mesmo tempo e no mesmo prato. Pescados, arroz e macarrão formam a base e quase sempre estarão presentes nas refeições. As barraquinhas de rua são uma boa pedida e trazem diversas opções por preços acessíveis, mas é importante ficar de olho e analisar a aparência daquela que você escolheu para se alimentar. Os tradicionais espetinhos de insetos que provocam a curiosidade de muitos turistas, podem ser encontrados em alguns pontos da cidade como na feirinha da Kaosan Road. Hmmm…Vai encarar?

Opções Vegetarianas:

Quem disse que só de animais exóticos vivem os turistas que vão para Bangkok? Em grande parte da Tailândia, devido a tradição budista de evitar produtos de origem animal, possui uma grande oferta de restaurantes vegetarianos e veganos.

Duas boas opções são o Vegan Thai Food Stalls, que é bem localizado, barato e saboroso e o Kran Boom Modern Thai, com um toque indiano e um número enorme de saladas no cardápio, além de opções de diferentes pratos a preços variados. Há também o Bann Suan Pai e o Bonita Cafe and Social Club, um café vegano em estilo americano, com decoração bem feita, e pratos tailandeses e americanos, como hot dog vegano.

Aulas de culinária:

Uma das atrações diferenciadas da Tailândia são as diversas aulas de culinária típica que ensinam turistas a fazer pratos maravilhosos. Se tiver tempo, participe de uma dessas aulas onde os alunos aprendem a fazer uma sequência de pratos completa, da entrada à sobremesa e no final ainda tem a oportunidade de saborear tudo aquilo que foi preparado. Apesar da vontade e da curiosidade, pela falta de tempo em Bangkok, nós optamos por não participar destas aulas, mas nosso interesse pela gastronomia nos fez trazer pra casa um livro de receitas tailandesas vegetarianas.

Onde se hospedar:

  • Banglampoo: Para quem gosta de agitação e experiências diferentes, nesta região será possível aproveitar a noite da famosa Kao San Road, também conhecida como reduto dos mochileiros. Uma rua animada que mescla compras a restaurantes, bares e muita música. Nesta região o barulho no quarto devido ao agito tende ir até às 02h.
  • Ko Ratanakosin: Conhecida como Cidade Antiga é a região indicada para quem prefere ficar hospedado próximo dos principais pontos turísticos da cidade, como o Grand Palace e os mais variados templos.
  • Riverside: Localizada próxima ao Rio Chao Praya, trata-se da região mais sofisticada de Bangkok. Neste local estão as mais caras opções de hotéis, restaurantes, bares e compras e fica relativamente perto da parte antiga da cidade, onde estão situados grande parte dos pontos turísticos da região.

Um dia pela cidade histórica de AYUTTHAYA

A cidade de Ayutthaya já foi capital da Tailândia, teve mais de 1500 templos e era a cidade mais importante do Reino da Tailândia. A beleza e riqueza da cidade atraíram muitos olhares e em 1767 a cidade foi invadida pelos exércitos da Birmânia. Completamente saqueada e destruída, Ayutthaya se transformou em uma cidade de templos antigos e ruínas e Bangkok se tornou a nova capital.

As marcas da destruição estão por todos os lados e belos templos antigos acabaram dando lugar a ruínas cheias de budas decapitados. Hoje Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco, Ayutthaya atrai milhões de viajantes que procuram ver sua beleza e saber um pouco mais sobre sua história.

Existem duas maneiras principais de se conhecer Ayutthaya: de bicicleta ou de tuk-tuk. Quem pretende usar bicicleta consegue alugar logo na estação de trem, mas a recomendação é que primeiro se atravesse o rio, para alugá-las do outro lado e não ter que gastar a mais para atravessar o rio com a bicicleta.

O Parque Arqueológico é o principal cartão de visita da cidade e encontra-se representado por vários Wats (templos) espalhados pela cidade. Abaixo nós listamos os melhores templos que você não pode deixar de visitar em Ayutthaya.

Templos que você precisa conhecer:

  • Wat Chai Watthanaram:Um dos templos mais populares e visitados de Ayutthaya. Foi construído entre 1630 e 1650 pelo Rei Prasat Thong e era utilizado para realizar cerimônias reais e também cremações de pessoas ligadas a família real.
  • Wat Yai Chai Mongkol:Este é um dos templos mais conservados de Ayutthaya, foi construído pelo Rei U-Thon e possui uma estupa com mais de 60 metros de altura construída com mais de 28 toneladas de tijolos.
  • Wat Mahathat: O templo que guarda uma das imagens de Buda mais famosas do mundo, uma fotografia da cabeça de Buda entrelaçada nas raízes de uma árvore.
  • Viharn Phra Mongkhol Bophit: Dentro deste templo fica a maior estátua de Buda de bronze da Tailândia. Essa estátua foi danificada quando o exercito birmanês atacou Ayutthaya e permaneceu exposta ao tempo por quase dois séculos, até ser restaurada, em 1920.
  • Wat Phra Ram:Começou a ser construído pelo Rei Ramesuan, no local da cremação do seu pai. Segundo a história, o reinado de Ramesuan não durou mais de um ano, então o templo só foi concluído no decorrer dos reinados sucessores ao dele.
  • Wat Lokkayasutharam:Local onde se encontra o maior Buda reclinado de Ayutthaya, conhecido por amantes de jogos como o Buda do Street Fighter, ele tem 37 metros de comprimento e 8 metros de altura.

Passeios com animais:

Existem passeios que são realizados com elefantes, tanto em Bangkok, como em Ayutthaya, que em geral vivem só para serem montados por turistas. Fuja desse mercado de shows de elefantes e “pseudo” passeios de animais que estão fora do seu habitat natural, sofrendo maus tratos na maioria das vezes. A melhor opção é deixar para vê-los em parques no norte do país, como em Chiang Mai, onde há uma reserva de elefantes, em que eles vivem soltos e livres.

Roteiro pelo Norte da Tailândia

CHIANG MAI:

Chiang Mai é a segunda maior cidade da Tailândia e mais importante da região norte do país devido à sua significância cultural. A cidade possui inúmeras tradições diferentes das que são encontradas no restante do país e é considerada a capital espiritual, onde existem mais de 300 templos na cidade, quase o mesmo número de Bangkok, em uma área bem menor.

DSC_0822

A cidade é espetacular e possui a infraestrutura que uma cidade grande precisa ter, mas a parte mais turística fica concentrada em uma pequena região, conhecida como a Cidade Antiga (Old City) e fica dentro das muralhas que protegiam o local de invasões.

No passado, o local era ameaça por birmaneses e mongóis. O rei decidiu fortificar a cidade e construir uma muralha ao seu redor, mas mesmo com muros ela não resistiu e foi conquistada pelos invasores. Hoje a muralha permanece na Cidade Antiga e dá a sensação de estar em terras ancestrais. Dentro da muralha há casas, lojas, restaurantes de todos os tipos, hotéis, albergues, templos e feirinhas.

Como chegar:

Saindo Bangcoc é possível chegar em Chiang Mai de ônibus (9 a 12 horas, preços entre 200 e 500 bahts), mais rápido do que de trem e a viagem é confortável. Optamos pela outra alternativa que são os trens (12 a 15 horas, incluindo opções de viagens noturnas), uma experiência muito diferente e ainda há a opção mais rápida e cara que são os aviões de companhias como a Thai Airways e Air Asia.

Templos belíssimos na Cidade Antiga:

  • Wat Chedi Luang:É um templo budista no coração da Cidade Antiga. Sua construção começou no século XV, mas só foi terminada em meados do século XVI e tinha como objetivo guardar as cinzas do pai do rei.
  • Wat Phra Singh: É um dos templos mais importantes de Chiang Mai, foi nomeado como Templo Real de Primeira Grandeza.
  • Wat Chiang Man: É o templo mais antigo da cidade, foi construído em 1297. Abriga duas estátuas de Buda que os fiéis acreditam ter poderes.

O que fazer em Chiang Mai:

  • Wat Phra Doi Suthep: É uma das principais atrações da cidade. O local fica no alto de uma montanha e é lindíssimo.
  • Karen Padong Hill Tribe: Este local é voltado para o turismo social, pois reúne uma tribo de refugiados e o turismo auxilia no comércio local. Nós recomendamos que você conheça as “mulheres girafa” e seu estilo de vida.
  • Night Bazaar: É uma das atrações noturnas preferidas da cidade. As ruas que abrigam o mercado ganham vida à noite, quando os ambulantes começam a montar suas barraquinhas de artesanato, roupas e acessórios tailandeses. O Night Bazaar acontece todos os dias, exceto aos domingos, fora dos muros da Cidade Antiga, mas é fácil e barato chegar lá de tuk-tuk.
  • Sunday Walking Street: O Sunday Market é um mercado famoso de rua que acontece aos domingos, de 16h00 à 00h00 no centro da Cidade Antiga. Há variedades de comidas típicas, artesanatos, souvenirs e roupas por um preço bem legal e diferente dos produtos do Night Bazaar, o que se encontra é quase todo produzido a mão e bem regional. Há muitas barraquinhas de comida e sucos tailandeses, além das thai massages tradicionais na rua.
  • Visita aos elefantes: Chiang Mai é famosa por seus passeios com os elefantes, lá os animais vivem na sua essência natural e não em como eles vivem para a indústria do turismo, que é o caso de muito em Bangkok. No Elephant Nature Park existe um santuário que cuida de mais de 60 elefantes resgatados de maus tratos ou de alguma situação de risco e lá é possível interagir com eles e vê-los livres.
  • Rafting de bambu: Um programa divertido pra se fazer em Chiang Mai é “bamboo rafting” no Mae Wang, que fica a cerca de uma hora do centro de Chiang Mai. Esse programa é bom para se refrescar e pode ser feito em meio dia, ou em um tour de dia inteiro se combinado com outras atividades.

O que NÃO fazer em Chiang Mai:

  • Não subir em elefantes: Como falamos no post sobre Bangkok (Link para o post), a maioria das pessoas incentiva esse tipo de turismo por desconhecimento, mas esses animais vivem fora de seu habitat e dopados para serem montados por turistas.
  • Não tirar fotos com tigres: Assim como os elefantes, os tigres servem como atração turística em Chiang Mai, um dos lugares é o Tiger Kingdom, onde você pode entrar na jaula com os bichos e tirar fotos. Neste local eles afirmam que os bichos não estão dopados e sim bem tratados, mas eles estão dentro das jaulas apenas para servir de entretenimento para turistas, enquanto deveriam estar soltos na natureza.

Onde comer opções vegetarianas e veganas:

Chiang Mai possui mais de 100 restaurantes veganos e vegetarianos, o lugar é bastante multicultural, mas um de seus restaurantes ganha destaque em meio a tantos: é o Pun Pun, que serve comida tailandesa vegetariana e orgânica, além de ensinar os visitantes sobre a prática de yoga e a jardinagem orgânica.

CHIANG RAI:

Chiang Rai é a província mais ao norte da Tailândia, está localizada numa região conhecida como Triângulo Dourado, onde Tailândia, Laos e Myanmar fazem fronteira e se encontram com o Rio Mekong e é também uma região belíssima em meio às montanhas.

DSC_0797

A cidade apresenta aspectos de sua cultura, arte e culinária diferentes do centro e sul do país, mantendo parte de suas características intactas, com muitas pessoas vivendo em tribos em meio às montanhas.

Um dos lugares mais famosos em Chiang Rai é o Wat Rong Khun ou o Templo Branco, O limite entre arte contemporânea e templo budista praticamente não existe no Templo Branco e talvez esse seja o motivo de impressionar tanto.

No local onde hoje está localizado o Templo Branco de Chiang Rai, havia um antigo templo budista chamado Wat Rong Khun. Este ficou famoso no final do século passado, quando o artista contemporâneo tailandês Charlemchai Kositpipat resolveu reconstruí-lo com seu próprio dinheiro e concepções culturais.

As paredes internas do Templo Branco são forradas com pinturas e personagens da cultura pop como Michael Jackson, Freddie Krueger, Harry Potter e Superman, mas neste local não é permitido fotografar, então, infelizmente não possuímos registros deste momento para mostrar a vocês.

Como chegar:

Uma opção é ir de ônibus saindo de Chiang Mai, há apenas uma empresa que faz o trajeto, a Green Bus, com vários horários de ônibus. O ônibus de 2ª classe, custa em média 144 Baths e tem ar-condicionado. A viagem dura pouco mais de três horas.

Golden Triangle

O Triângulo Dourado é um lugar mágico, marcado por belezas naturais exuberantes, ponto de encontro entre três países do sudeste asiático: Tailândia, Laos e Myanmar. Além disso, é o lugar onde o rio Mekong se encontra com o rio Ruak. Na área tailandesa, o Triângulo Dourado localiza-se na província de Chiang Rai, no extremo norte do país.

O nome foi inspirado pelas abundantes quantidades de ópio que cresciam na região, onde por décadas foi o centro da crescente produção do comércio de ópio na Tailândia. Em 1902, o governo Tailandês erradicou toda a produção e hoje, cascatas de plantações de chá e pomares cheios de frutas substituíram os campos de papoula. Atualmente as antigas rotas do ópio estão rodeadas de hotéis de luxo, resorts e spas.

Nas montanhas nebulosas do Triângulo Dourado ainda vivem algumas das civilizações mais antigas da Tailândia. Entre as atividades para fazer e lugares para conhecer está o passeio no barco de cauda longa para o encontro do Rio Ruak e Mekong.

Como chegar:

Saindo de Chiang Mai, a viagem dura cerca de 3 horas com uma distância de 250 km. Já de Chiang Rai, a viagem é mais curta, cerca de 70 km e duração de 1 hora.

O que fazer em Koh Phi Phi

Koh Phi Phi é a mais famosa entre as ilhas tailandesas, considerada um dos dez paraísos na Terra. As águas cristalinas cor de esmeralda, são a menina dos olhos de mergulhadores e paredões rochosos que emergem de dentro do mar formam uma geografia rara.

DSC_0435

O local ficou famoso após o sucesso do filme “A Praia” estrelado por Leonardo Dicaprio, que mostrou as belezas naturais deste paraíso. O arquipélago é formado por Ko Phi Phi Don, Ko Phi Phi Leh, Bamboo e Mosquito Island.

Koh Phi Phi Don é onde ficam os hotéis, bares, restaurantes, lojas e centros de mergulhos. É um pequeno vilarejo entre as praias de Loh Dalam e Ton Sai, onde não há carros. Durante o dia há inúmeras opções de passeios, visitas às ilhas menores e opções de mergulho e escalada. A vida noturna também é agitada e há opções de bares e restaurantes suficientes para agradar diferentes gostos.

Infelizmente um tsunami de 2004 reduziu Koh Phi Phi Don a escombros e matou milhares de pessoas, mas hoje a ilha conta com um sistema de alarme e sinalização de rotas de fuga, em caso de maremoto.

Koh Phi Phi Leh é a ilhazinha que abriga Maya Bay, onde foi gravado o filme “A Praia”. O local foi tombado como parque nacional, não tem nenhuma construção e o visual é deslumbrante. Mesmo lotada durante o dia, tudo é muito parecido com o visual do filme.

DSC_0449

Um dos passeios mais bonitos de Koh Phi Phi é o tour até a Maya Bay. O tour até a Bamboo Island também é imperdível, mas o ideal é reservar um dia para cada um desses passeios. Lembre-se de chegar cedo nas ilhas, pois quanto mais tarde elas estarão mais lotadas.

Como chegar:

Partindo de Phuket você vai levar cerca de duas horas e de Krabi será uma hora e meia. Os ferrys param em Ton Say, no pier da ilha e ao desembarcar, será cobrada uma taxa de 20 Baths para entrar na ilha. A outra opção é ir de lancha rápida, que levará cerca de cinquenta minutos.

Onde se hospedar:

Koh Phi Phi é bem desenvolvida para o turismo e são variadas as possibilidades de hospedagem lá, que vão de hotéis luxuosos até albergues mais baratos. Na chegada ao arquipélago você vai encontrar muitos tailandeses oferecendo hospedagem, com álbuns de fotografia e informações de hotéis.

Onde comer:

Em Koh Phi Phi você encontra todos os tipos de comida, desde a local, até indiana, italiana e etc. Praticamente todos os restaurantes servem a comida local, pratos vegetarianos e a culinária que chamam de Europeia, que são os pratos mais tradicionais como massas, carnes, frangos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s